As práticas digitais de doutorandos em Ciência da Informação: contributo para uma cartografia do espaço Ibérico e Brasil

Monica Marques Carvalho Gallotti, Maria Manuel Borges, Olívia Pestana

Resumen


Objetivo. Investiga a utilização de novos métodos e ferramentas digitais no acesso, criação e difusão da informação científica. Analisa a incorporação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no processo de investigação por parte de Doutorandos em Ciência da Informação (CI) no Espaço Ibérico e no Brasil.

Desenho/Metodologia/Enfoque. A metodologia adotada foi a de revisão de literatura, um estudo exploratório-descritivo e estudo de caso com doutorandos de seis programas doutorais em CI dos países mencionados. A recolha de dados foi feita por meio de entrevistas semiestruturadas e de um inquérito eletrônico. O tratamento dos dados seguiu padrões da estatística descritiva.

Resultados/Discussão. Foram obtidas 174 respostas. O grupo é composto em sua maioria por estudantes do sexo feminino (67%), com média de idades de 25 a 59 anos, formação predominante em CI (50%). O estudo revelou que as TIC permeiam de forma pervasiva todas as fases da educação e produção doutoral. Concernente à publicação de resultados, os respondentes têm preferência por formatos tradicionais de comunicação e validação científica.

Conclusões. Constatou-se que no geral os doutorandos têm incorporado as TIC de forma crescente nas suas práticas de científicas, consideram que a rápida evolução das mesmas se constitui em um aspeto negativo para a sua adoção e ainda, que os Programa Doutorais poderiam fomentar mais o uso destas ferramentas.

Originalidade/Valor. Os dados podem ser utilizados para melhor discutir a formação doutoral em CI, analisar padrões de comunicação científica e servir de contributo para a construção de uma cartografia desta área tão necessário à agenda científica atual.


Palabras clave


Comunicação científica; Tecnologia da informação e comunicação; Ciência da informação; Educação doutoral

Referencias


Arms, W. Y., & Larsen, R. L. (2007). The Future of Scholarly Communication: Building the infrastructure for cyberscholarship. Em Workshop Report, National Science Foundation and Joint Information Systems Committee. Recuperado de http://bit.ly/2tjBKgk

Aventurier, P. (2014). Academic social networks: challenges and opportunities. Em 7th UNICA Scholarly Communication Seminar. Recuperado de https://hal.archives-ouvertes.fr/hal-01123418/

Borges, M. M. (2007). A esfera: comunicação académica e novos media. Coimbra: Faculdade de Letras.

Boyd, D., & Lee, A. (2009). Changing practices of doctoral education. London: Routledge.

Calvi, L., & Cassella, M. (2013). Scholarship 2.0: analyzing scholars’ use of Web 2.0 tools in research and teaching activity. Journal of Information Science 23(2), 110-133. doi: 10.18352/lq.8108.

Castells, M. (2013) Communication in the Digital Age. Em Communication Power. Oxford, New York: Oxford University Press.

Crawford, S Y., Hurd, J. M., & Weller, M, (1996). From print to electronic: The transformation of scientific communication. ASIS Monograph Series. Medford.

Fitzpatrick, K. (2015). Academia not edu [blog post]. Recuperado de http://www.plannedobsolescence.net/academia-not-edu/

Garvey, W. D., & Griffith, B. C. (1972). Communication and information processing within scientific disciplines: Empirical findings for psychology. Information storage and retrieval, 8(3), 123-136. doi: 10.1016/0020-0271(72)90041-1.

Gray, J. (2009). E-Science: a transformed scientific method. In Hey, T.; Tansley & S.; Tolle, K (Eds) The fourth paradigm: data-intensive scientific discovery (pp. 17-30) Redmond: Microsoft Research.

Guimarães, R. C. & Cabral, J. A. (2010). Estatística (2.ed.). Verlag Dashöfer.

Hicks, A., & Sinkinson, C. (2015). Examining Mendeley: Designing learning opportunities for digital scholarship. Libraries and the Academy, 15(3), 531-549. doi: 10.1353/pla.2015.0035.

Holmberg, K., & Thelwall, M. (2014). Disciplinary differences in Twitter scholarly communication. Scientometrics, 101(2), 1027-1042. doi: 10.1007/s11192-014-1229-3.

Hurd, J. (2004). Scientific Communication: New Roles and New Players, Science & Technology Libraries, 25(1-2), 5-22. doi: 10.1300/J122v25n01_02.

Crawford, S. Y., Hurd, J. M., & Weller, A. C. (1997). From print to electronic: the transformation of scientific communication. Medford: Information Today (ASIS Monograph Series).

Kramer, B., & Bosman, J. (2015). 101 innovations in scholarly communication-the changing research workflow. Recuperado de http://bit.ly/1WBUfEx

Kulczycki, E. (2012). Blogs and scientific services: scientific communication in culture of convergence. Recuperado de http://bit.ly/2sx8hld

Maroco, J. (2011). Análise Estatística com o SPSS Statistics (5.ed). Report Number.

Murteira, B., Ribeiro, C., Silva, J., & Pimenta, C. (2001). Introdução à estatística. Lisboa: McGraw-Hill

Nentwich, M., & Konig, R., & König, R. (2012). Cyberscience 2.0: research in the age of digital social networks. Campus Verlag.

Nicholas, D, Watkinson, A, & Herman, E. (2016) Early career researchers: the harbingers of change? Recuperado de http://ciber-research.eu/download/20160901-Harbingers-ECRs_literature_review.pdf

Neylon, C., & Wu, S. (2009). Article-level metrics and the evolution of scientific impact. PLoS Biol, 7(11), e1000242. doi: 10.1371/journal.pbio.1000242.

Pestana, M.H., & Gageiro; J.N. (2008). Análise de dados para Ciências Sociais: a complementaridade do SPSS (5.ed.) Sílabo, Lisboa.

Weller, M. (2011) The Digital Scholar: How technology is transforming academic practice. A&C Black.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Licencia Creative Commons
Este trabajo está licenciado bajo una Licencia Internacional Creative Commons 4.0 Atribución-NoComercial-CompartirIgual .

 Revista indizada en: Web of Science (Emerging Sources Citation Index), DIALNET, EBSCO (Academic Search Complete, 
Academic Search Premier, Academic Search Ultimate, Fuente Académica Plus), PROQUEST (Library and Information Science
Abstracts, Library Science), REDIB, CLASE, BIBLAT, INFOBILA, Ulrichs Web, Latindex, DOAJ, Index Copernicus, JournalsTOC,
ERIH Plus, E-LIS, MIAR, e-Libros, BASE,
Google Scholar, y otros.


                           Redes Sociales
 
              
  
Indicadores de impacto según Google Scholar:
Índice h: 8; Índice i10: 3
Revista certificada por el CITMA


           Revista. Bibliotecas. Anales de investigación by Biblioteca Nacional de Cuba José Martí is licensed under aCreative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional License.  

Creado a partir de la obra en anales.bnjm.cu

 ISSN: 0006-176X, EISSN: 1683-8947   
                               Licencia de Creative Commons